O que é o Grande Atrator?

O que realmente é o Grande Atrator? O que explica as galáxias se atraindo se o universo está expandindo?
Início

O Grande Atrator é uma anomalia gravitacional localizada no espaço intergaláctico, no centro do Superaglomerado de Laniakea, que revela a existência de uma concentração localizada de massa equivalente a dezenas de milhares de galáxias.

O Grande Atrator não é um objeto ou uma estrutura, mas uma região. É uma concentração de massa que influencia o movimento de todas as outras galáxias, incluindo a Via Láctea. Esta massa é observável indiretamente pelo seu efeito no movimento das galáxias e dos seus aglomerados associados numa região com centenas de milhões de anos-luz de diâmetro.

A descoberta do Grande Atrator

O Grande Atrator foi descoberto pela primeira vez na década de 1970, quando mapas detalhados da Radiação Cósmica de Fundo estavam sendo feitos. Os astrônomos notaram que a Via Láctea e galáxias próximas estavam se movendo na direção da constelação de Centauro a cerca de 600 km/s.

Mapa das distâncias e movimentos das galáxias
Distribuição de galáxias observadas no infravermelho-próximo do catálogo 2MASS possibilitam estudar o movimento de mais de 1,5 milhões de galáxias por meio do desvio para o vermelho (redshift). Em azul, as galáxias mais próximas; verde, em distâncias moderadas; e vermelho, longas distâncias. Essas medidas mostram que todas as galáxias locais estão se atraindo para uma região específica: o Grande Atrator. Fonte: IPAC/Caltech, Thomas Jarrett.

Inicialmente, os astrônomos não conseguiram ver muito longe naquela direção porque as nuvens de poeira da Via Láctea bloqueavam a luz das regiões mais distantes (esta região é chamada de Zona de Evitamento), com o Grande Atrator dentro dela, dificultando qualquer descoberta. No entanto, em tempos mais recentes, os radioastrônomos conseguiram examinar através da poeira e do gás da Via Láctea e assim tiveram uma ideia aproximada do que poderia ser o Grande Atrator.

Os superaglomerados galácticos

Aglomerado de Pandora (Abell 2744)
O Aglomerado de Pandora (Abell 2744). Fonte: NASA, ESA, STScI.

Algumas das maiores estruturas conhecidas no Universo são os superaglomerados, como o Superaglomerado de Virgem, o Superaglomerado de Shapley, o Superaglomerado de Hidra-Centauro, entre outros. Esses superaglomerados são enormes aglomerados de aglomerados menores. Forma-se uma hierarquia: estrelas formando galáxias, galáxias formando os grupos e aglomerados, e os aglomerados formando os superaglomerados e filamentos.

As galáxias do Grupo Local estão lentamente se aproximando e se movendo em direção ao Aglomerado de Virgem, que está no centro do Superaglomerado de Virgem. Ao mesmo tempo, todas as galáxias deste superaglomerado dirigem-se para o seu centro. Da mesma forma, todos os aglomerados de galáxias nos outros aglomerados estão se movendo em direção aos seus respectivos centros devido à atração gravitacional que essas galáxias exercem umas nas outras, as maiores atraindo as menores.

Movimento das galáxias no superaglomerado Laniakea devido ao Grande Atrator
Este mapa mostra as “correntes das galáxias” de Laniakea. As galáxias (esferas brancas) são como bolinhas em alto mar. As correntes as transportam de uma ilha menor (aglomerado de galáxias) para a maior ilha de galáxias mais próxima, a região do Grande Atrator. As cores vermelha e amarela mostram as ilhas, e o roxo mostra os vazios. Fonte: Instituto de Astronomia, Universidade do Havaí.

Atualmente, a única explicação possível para esta perturbação é a existência de uma região onde há concentração de massa, e onde há massa, há gravidade: o Grande Atrator, uma região contendo massa equivalente a centenas de milhares de galáxias que exercem uma força gravitacional sobre todas as galáxias circundantes.

Mas o universo não está se expandindo?

Parece antagônico dizer que existe um Grande Atrator quando, na verdade, o universo está comprovadamente se expandindo. Afinal, se ele está se expandindo, o quê explica a existência de um poço de gravidade puxando tudo?

Antes de mais nada, lembre-se que as estruturas cosmológicas são gigantescas. Nas estruturas em grande escala temos diversos superaglomerados, e o nosso Grande Atrator se localiza no Superaglomerado de Laniakea. Portanto, o Grande Atrator é um fenômeno local, uma interação que ocorre em nosso superaglomerado e, de forma alguma, é um fenômeno que atua em todo o universo.

As galáxias do Superaglomerado de Laniakea (onde estamos) estão se atraindo mutuamente devido à força gravitacional entre as galáxias do próprio superaglomerado, mas todos os outros superaglomerados e filamentos do universo estão se expandindo. A imagem abaixo ilustra o fenômeno:

Formação de superaglomerados e filamentos galácticos
As caixas mostram como os filamentos e superaglomerados de galáxias crescem ao longo do tempo, desde uma distribuição relativamente suave de matéria escura e gás, com poucas galáxias formadas nos primeiros 2 bilhões de anos após o Big Bang, até aos filamentos de galáxias com grandes vazios atualmente. Fonte: CXC/MPE/V.Springel.

Em essência, embora o Universo esteja de fato em expansão, a gravidade do Grande Atrator e da estrutura maior do Superaglomerado de Laniakea tem apenas um efeito significativo local no movimento das galáxias, puxando-as para estas concentrações de massa e afetando as suas velocidades independentemente da expansão do universo.

Perto da escala do universo, o Grande Atrator, no final das contas, não é tão grande assim.

Quer citar este post?

HOSTI, B. P. O que é o Grande Atrator?. Espaço-Tempo, 2023. Disponível em: https://www.espacotempo.com.br/o-que-e-o-grande-atrator. Acesso em: 23 jul. 2024.

Brunno Pleffken Hosti

Professor. Graduado em Física pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Extensão em Astrofísica pelo IAG/USP e pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Pesquisador nas áreas de astrofísica observacional e espectroscopia.

Publicação anterior

O que são quasares?

Próxima publicação

Por que o universo observável é maior do que a sua idade sugere?